Minhas Inspirações


Eu nasci em São Paulo por acidente, mas sou nordestino de coração! Com dois anos eu já comia carne de bode, e meu código genético não nega meu nordeste. Tenho como inspiração todo o cenário do Nordeste, os poetas que deram vida ao forró: Luiz Gonzaga, Dominguinhos e minha flor Daniela.

Chambinho do Acordeon


Um pouco da minha trajetória

Certo dia meu pai chegou com uma sanfona vermelhinha de 80 baixos, me obrigando a tocar: “Eu não toquei, mas tu vai tocar moleque” ele dizia. Foi nesse momento que dei início a minha vida de cantador, e estou há 21 anos no mundo da música. Comecei a minha carreira cantando no Piauí. Vivi dias de luta no mundo da música e passei por diversos segmentos, mas o que mais gosto mesmo é o bom forró. Hoje sigo minha carreira solo e levo autenticas canções nordestinas para o mundo. O forró estará vivo por onde eu for, enquanto meu acordeon aguentar tocar! .

Tomei gosto pelo bom forró quando era criança, as canções do meu querido Nordeste já fazem parte de mim, e do que eu sou. Com 12 anos de idade me mudei com minha família para a cidade de Jaicós, Piauí, onde aprendi os primeiros acordes na sanfona, com meu avô Zezinho Barbosa. Foi lá que tomei gosto pelo autêntico forró e aprendi macetes dos velhos sanfoneiros nordestinos. Certo dia meu pai chegou com uma sanfona vermelhinha de 80 baixos, me obrigando a tocar: “Eu não toquei, mas tu vai tocar moleque” ele dizia. Foi nesse momento que dei início a minha vida de cantador, e estou há 21 anos no mundo da música. Comecei a minha carreira cantando no Piauí. Vivi dias de luta no mundo da música e passei por diversos segmentos, mas o que mais gosto mesmo é o bom forró. Hoje sigo minha carreira solo e levo autenticas canções nordestinas para o mundo. O forró estará vivo por onde eu for, enquanto meu acordeon aguentar tocar!

Tenho um prazer enorme em interpretar músicas instrumentais de Luiz Gonzaga, Dominguinhos, Sivuca, Oswaldinho do Acordeon, entre outros compositores de sucesso r no decorrer de minha carreira pude acompanhar grandes nomes do forró, como a Família Gonzaga, Anastácia e o grande humorista João Claudio Moreno. Pessoas que fizeram grande diferença em minha vida e em meu modo de fazer música. Foi junto de Banda Caiana, lutando pela retomada da tradição que comecei a me apresentar em algumas das mais importantes casas de forró de São Paulo, como KVA, Remelexo Brasil, Canto da Ema, Estância do Alto da Serra e Cooperativa Brasil, sempre levando minha sanfona e os macetes que aprendi no Nordeste. Tempos depois, fui selecionado entre mais de 5 mil candidatos para interpretar Luiz Gonzaga e aprendi a atuar no dia-a-dia, um desafio que me fez crescer tanto como sanfoneiro quanto como ator. Tem muitos anos que puxo o fole, mas uma grande emoção toma conta de mim quando pego minha sanfona. Cada apresentação é única!

chambinho-inteiro-para-trajetoria